02 janeiro 2012

Renasci


 
Renasci
Sempre gostei de sonhar.
Um dia tudo veio abaixo, eu quis fugir, eu quis desistir.
Nem sempre é tão fácil ter forças pra prosseguir
Nem todas as estrelas que brilham ainda estão vivas.
Eu andei na sombra do mundo, o clarão do dia nem sempre brilhou para mim.

Eu me orgulho em dizer que eu renasci, renasci, eu ressurgi das cinzas.
Renasci do pó, do fracasso, do medo.
Revivi para provar ao mundo que ninguém morre quando ainda sonha.

Meus sonhos coloridos se encontraram com um mundo escuro
Perdi a cor, virei pó.
Alguém me amparou e foi minha força pra prosseguir.
Eu estava a fraquejar e só queria colo
O mundo escuro foi ofuscado pelo novo brilho que meus sonhos ganharam.
E hoje

Eu me orgulho em dizer que eu renasci, renasci, eu ressurgi das cinzas.
Renasci do pó, do fracasso, do medo.
Revivi para provar ao mundo que ninguém morre quando ainda sonha.

Das cinzas eu evaporei para o mundo
E recuperei em dobro o que o fracasso tinha me tirado.


2 comentários:

  1. Lindo! poema... poeta não morre está sempre vivo
    em vidas que amam a poesia, continue... vá em frente... Anhy parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Tu tens um talento preclaro em sua poesia, a exerce com maestria, humildemente e belíssimamente. Meu parabéns!

    Saudações!

    ResponderExcluir

Fique a vontade para comentar. Só não vale deixar a santa e boa Ética de lado. Obrigada!